Um tour pelo acampamento PARTE II

  ( Leiam a parte I antes … Link : PARTE I )

A primeira era mais alta, tinha as pontas do cabelo rosa, mas o resto do cabelo era loiro e usava uma bandana amarela e um colar com um pingente de arco e flecha. Ela as esperava com um grande sorriso no rosto e alguns papéis na mão. A segunda era a menor do grupo. Ela tinha cabelo preto, bem curto, usava um colar que as recrutas reconheceram como o símbolo da aliança rebelde da saga Star Wars e usava uma bandana marrom em seu braço. Ao contrário da primeira, o seu sorriso era malicioso, como se estivesse planejando algo para elas. Já a terceira, era um pouco maior que a segunda e também tinha cabelos pretos que eram presos por uma faixa cinza. Ela usava óculos, o que a deixava com ar bem intelectual e estava de braços cruzados, impaciente, olhando repetidamente em seu relógio.

As recrutas identificaram a Aurora como a primeira e as outras duas se apresentaram como Obi Wana e Kennis, respectivamente.

-Estão atrasadas. – Disse Kennis suspirando impaciente.

    Uma das recrutas ficou meio triste com a situação, ela queria que a deusa as continuassem guiando.

    -Mas não era Ártemis que deveria estar aqui?

-Lady Ártemis é uma deusa muito atarefada. Ela nos pediu para acompanhar vocês e terminar o tour.- Kennis ainda olhava o seu relógio.

A Aurora virou para as meninas e disse: Vamos aos Canis! Vocês vão adorar conhecer o Nico!

  Obi Wana  virou de costas e murmurou -Eu tenho que parar de ter pensamentos malignos para as recrutas.

-Tudo bem, então… Pensamentos malignos?!- Uma das recrutas ouviu os murmúrios da caçadora.

    – Bom, já estamos atrasadas e eu tenho várias coisas pra fazer. Os canis são pro outro lado, Aurora… E não se preocupe recruta – Kennis esboçou um sorriso.-  ninguém nunca morreu por causa das pegadinhas dela. Aurora, você forjou um apito pra isso, para chamar o Nico.

    -Mas eu tenho que buscar o Nico…  E eu esqueci  do meu apito no quarto…

    -Ai Aurora, você só não esquece a cabeça porque está presa- Obi Wana colocou a mão no rosto.

    – Vamos ao Arsenal. Depois bosque. E depois voltamos para os campos de treinamento, sem passar nos canis que ficam do outro lado do acampamento. Quer fazer as honras, louca do arsenal? -Kennis sorriu para Aurora.                      

    – VAMOS PARA O ARSENAAAAL! BORA – Aurora sai na frente completamente animada. Ela gostava muito de ir para os arsenais, qualquer um dos três.          

    -Vocês se acostumam. -Disse Kennis rindo e acompanhando as meninas.              

    Todas seguira a Aurora até o arsenal 1. O lugar ficava um pouco acima do Centro de Atividades, mais especificamente no nordeste do acampamento. Ele era feito todo de madeira e tinha cerca de 6 metros de comprimento. Possuía duas portas que abriam para fora e que quando juntas, formavam o símbolo da caçada e o número 1 bem no meio.

    Aurora abriu a porta e entrou com animação no local. Lá as meninas encontraram muitas variedades de armas organizadas por tipo e tamanho. Vários gládios estavam encostados nas paredes enquanto arcos e aljavas praticamente as enfeitavam com sua majestade. Várias adagas estavam organizadas sobre 2 mesas em um dos cantos e protetores de braço e outros equipamentos de proteção ficavam pendurados em cabides e araras. As lanças e machados, que não eram muitos, ficavam em um suporte horizontal específico para elas e Aurora foi correndo pegar o maior machado que conseguiu ver.  
             
    -Ele não é Lindo?! Eu adoro esse lugar! – Ela entregou a arma para a recruta mais próxima que foi surpreendida com o seu peso, o deixando cair.
                   
    Kennis riu, pegou o machado o colocando de volta no suporte e falando:

    -E é por isso que ela recebeu o apelido de “louca do arsenal”. Bom, aqui guardamos nossas armas. Cada caçadora tem as suas armas e elas andam com ela, ou ficam guardadas no seu quarto. Nossos arcos se transformam em tiaras para facilitar o transporte.

    Então, ela puxou o seu arco, Paciência e o mostrou para as recrutas

    -A Fauna -o arco da Aurora- e o Severo -o arco da Obi-, são as únicas exceções…- Completou ela.            
    As recrutas ficaram completamente animadas com a ideia de terem um arco compacto então Aurora resolveu também mostrar o seu arco.

    -Sim, o meu arco me foi dado pelo meu pai, prefiro não dizer o nome dele. Vai que ele aparece… O arco fica esse colar que vocês estão vendo aqui. – Ela tirou o seu colar e puxou a sua flecha, fazendo assim surgir um belo arco. – E todas as armas oficiais de caçadoras possuem nomes. Por exemplo, essa belezinha aqui é a Fauna, minha amiga. Eu também tenho a Flora, a minha adaga- Ela guardou a Fauna e puxou uma adaga do seu cinto-  e a Primavera, meu gládio, que eu deixei no meu quarto.                      
    Kennis sorriu e disse:
 
    -O arco é a nossa arma principal, mas também podemos usar outras armas. O meu se chama Paciência, já que é a única que eu tenho. -Ela lançou um sorriso frio- Como boas arqueiras, temos adagas de arremesso. Essa é a Compaixão.- Mostrou a sua adaga.- E podemos conquistar novas armas por meio de missões. A Primavera foi dada por Perséfone. Os meus gládios -Ela girou o seu arco revelando duas espadas – foram dados por Lady Hécate e se chamam Perseverança e Confiança.                      
    – Nossa! Isso aí é mais legal ainda! Vamos conseguir armas mágicas assim também?  – Tinha uma das recrutas que estava muito mais animada do que as outras.                  

    Kennis a olhou de cima a baixo e disse :

    -Uma coisa que vocês vão aprender na Caçada é que você só tem o que merece. Seu nome, suas armas… Tudo vem do seu esforço e merecimento. Nunca desista de uma tarefa, por mais difícil que ela possa parecer. Faça no seu ritmo, mas sempre faça.                      

As recrutas disseram em coro:
            -Sim Senhora!                      

    -Ou ganhem uma competição de dança contra uma deusa .Talvez vocês também ganhem armas legais. – Completou Aurora                    

    -Ou encontrem um cão fantasma…   – Kennis finalizou o pensamento.                  

    As duas caçadoras começaram a rir, mas as recrutas não entenderam muito bem o que havia acontecido ali, porém balançaram a cabeça concordando mesmo assim.

    Kennis saiu do arsenal e pediu para as meninas a acompanharem, agora elas iriam ver o bosque.                                

    -Ah, o bosque… Tenho tantas lembranças desse lugar… Sabe o que é engraçado garotas? As aulas de sobrevivência. Eu posso garantir que vocês nunca se esquecerão delas.  – Aurora fechou a porta do arsenal e as seguia por trás.                    

    -As aulas de sobrevivência são excelentes. Acredito que damos muito mais valor quando a experiência é prática.  – Kennis sorriu. Ela não podia ver a hora do seu plano entrar em ação.                  
    Atrás do Arsenal ficava o bosque. Várias árvores grandes e densas preenchiam o local. Não parecia mais que estavam no cerrado e sim na floresta Amazônica, pois o clima era úmido e os sons dos animais tomavam conta. As recrutas foram instruídas a não se separarem das caçadoras, pois elas poderiam se perder por qualquer deslize e seria praticamente impossível de encontra-las já que aquele bosque foi feito para a caçadora encontrar o seu próprio caminho e não para ser encontrada. Elas caminharam em silêncio até uma clareira com grande lago onde algumas ninfas relaxavam e aproveitavam o sol. Até que Kennis o quebrou.    

                        

         

    -Nossas aulas de rastreamento também acontecem aqui. Somos seguidoras da deusa da caça, então aprendemos como nos localizar em florestas e como caçar efetivamente.
                     
    Ela continuou- Acredito que Lady Ártemis as informou que nossa base é essa, mas acampamos quando estamos em missão. Nossas tendas se camuflam na vegetação e aqui também aprendemos como montar o acampamento no padrão de defesa.Esse bosque é um pouco mágico, por isso que aqui temos uma representação de cada bioma brasileiro.O que estamos agora é a Mata atlântica, e  o treinamento de salvamento aquático é feito nesse lago -ela apontou para o lago- que também serve para a descontração nos fins de semana e horários livres. Mas não entrem no bosque sozinhas até realmente estarem familiarizadas com o lugar, a não ser que queiram sumir para sempre. –ela fez uma pausa dramática.      
       
    -Essa clareira é a parte mais acessível do bosque e vocês estão autorizadas a virem até aqui. O bosque nos aproxima da natureza, as árvores nos ligam à terra, à água, sol… É importante que vocês se sintam parte da natureza, pois estarão em contato com ela constantemente agora. Se sintam confortáveis com os animais e com o ambiente. Sentem-se e relaxem um pouco. Se quiserem meditar ou conhecer os arredores, lhes darei meia hora. Não se afastem da clareira, por favor.                      

    As recrutas adoraram a oportunidade e se dispersaram pela clareira. Algumas ficaram sentadas a margem do lago conversando com as ninfas, outras ficaram deitadas ou sentadas na grama observando a paisagem e as mais corajosas entraram no lago. Elas estavam aproveitando muito o momento.                

     Aurora ficou preocupada com as recrutas e perguntou:

     – Kennis, só por curiosidade, você fez a contagem das recrutas? Porque agora temos uma grande chance de perder alguma.            

     -Não, mas se ela se perder mostrará que não é digna de estar entre nós. -Ela deu de ombros- Não se preocupe, estou de olho nelas, elas não saíram da clareira. – Ela sorriu, retirou um livro pocket do bolso e o começou a ler.

     -Ah tá, de olho nelas, aham. Obi… Vai deixar isso acontecer ??                      

     -O que?  – Perguntou a Obi wana que havia se distraído com alguma ideia de invento que surgiu em sua cabeça.                

     -A gente perder as meninas.                  

     -Nunca, tô de olho nelas.                    

     – Obrigada! E você fez a contagem?                    

     -Sim.              

     -Ótimo. Viu Kennis! Tem alguém SENSATA AQUI! – Aurora se virou para Kennis que só lhe deu de ombros sem retirar o seu olhar do livro.

     – E você Aurora, por que não contou as meninas? – Kennis ainda olhava para o livro.

     – Você sabe… – Respondeu ela olhando para o lago.

     – Esqueceu, né?

     – Aham…

     -Bom, pelo menos você lembrou agora.- Ela sorri e olha o relógio- Está quase na hora…

     – Hora de que?

     – Nada não… Nada não…

    Os 30 minutos se passaram incrivelmente rápidos e logo as meninas foram recolhidas. Kennis fechou o seu livro e disse:

    -A vida delas precisa de um pouco de emoção. Aqui é o cenário perfeito…                      

    -O que você está planejando, Kennis? – Perguntou Aurora preocupada.            

    -Eu? – Ela faz cara de inocente- Podemos ir para os campos de treinamento agora?

    Uivos encheram o local e o som de asas movimentou as árvores enquanto o vento soprava.                  
    – Lá vem – Disse Aurora se sentando na rocha mais próxima.

    As recrutas se assustaram com o barulho repentino e se aglomeraram uma nas outras. De repente, as meninas ouviram nas próprias mentes “Monstros estão vindo, meninas”. Os uivos estavam cada vez mais próximos.

    Kennis sorriu com malícia e finalmente disse:
 
    -Ah… Vamos conhecer a matilha? Eles estão vindo.                      

    Lobos de um metro e meio se aproximaram correndo, suas pelagens se camuflavam na floresta e seus passos e respirações eram fortes. Um carcará gritou e deu um rasante no grupo. As meninas ouviram a pergunta “vocês tem medo de animais selvagens?” em suas mentes. Algumas recrutas olharam assustadas e se encolheram. O caracará sobrevoou o grupo e pousou no ombro de Kennis, que fez carinho nas penas dele. Um lobo preto e branco se aproximou de Aurora e encostou o focinho nela.

    -Nossa matilha defende nossas torres. – Disse Kennis, satisfeita com o susto.- Eles são as primeiras defesas que temos, mas também lutam conosco quando saímos em algumas missões. Os animais da matilha podem ser seus e virem com vocês, ou podem te escolher aqui dentro. Esse é o Argo e aquele ali é o Nico.  Nas nossas torres montamos guarda e vigiamos as entradas no mundo mortal. Essa que estamos é a que dá pro Jardim Botânico.                      

    -Também conhecida como “Entrada da Floresta”. –Completou Aurora enquanto fazia carinho no grande lobo preto e branco que retribuía balançando o rabo. Então ela começou a falar com voz de bebê – Esse não é o rabinho mais lindo que vocês já viram? Quem é o bom lobinho? Quem é?  Quem é o Nico mais Nico dos Nicos? – Isso com certeza acalmou as meninas.

    Kennis e Obi Wana riram e a Aurora se levantou admitindo para a Kennis que aquela realmente foi uma boa ideia.  Kennis agradeceu e sugeriu irem para o campo de treinamento.                  

    Vamos meninas! – Aurora estava indo na frente com o Nico quando lembrou algo importante-  Ah, tem uma coisa que a Kennis não explicou. Todos os animais da caçada não são comuns, como dá para perceber. Cada um possui uma habilidade única, que o torna um animal membro da caçada. O Nico aqui, por exemplo, possui a habilidade de rastreamento de “magia”. Ele consegue encontrar objetos ou seres “mágicos”. Na verdade, ele rastreia a névoa, mas explicar pela magia é mais fácil.                      
    – Sim, o Argo é um telepata. Os pensamentos que vocês ouviram foi cortesia dele. Toda caçadora forja seu próprio apito, um elo mágico que liga seu animal à ela. Até eu tenho um, apesar dele sempre saber quando preciso. – Ela puxa e mostra um colar prata de dentro da blusa, com uma asa entalhada.            
    – Eu também tenho, apesar de me esquecer dele, às vezes. – A caçadora ainda estava procurando o seu apito em sua roupa.                    

    -Você se esquece de muitas coisas, né? – Kennis sorriu e tomou a liderança do grupo.- Campos de treinamento. Por aqui, meninas.

    Alguns animais da matilha voltaram para as defesas, mas Nico e Argo permaneceram. Porém, uma loba inteiramente branca correu e pulou numa recruta, que fez carinho nela e gritou “Lilly!”. Obi e Kennis a olharam com desaprovação e a recruta se recompôs.

    -Essa é uma das lobas da própria deusa. Lilly é uma rastreadora de semideusas.- Kennis faz carinho na Loba e a manda voltar para as defesas.

    – Enfim, vamos para qual dos centros de treinamento primeiro? – Agora era Aurora que queria terminar esse tour rápido. Ela já havia perdido muito tempo e precisava organizar a próxima leva de tiaras e duas aulas de mitologia.                

    -O de combate corpo a corpo. – Obi Wana gostava muito daquele centro de combate.                    

     As meninas saem do bosque e descem em direção ao centro de treinamento Corpo a corpo. No caminho, elas passam novamente pelo centro de atividades e refeitório até chegarem ao seu destino. O Centro de treinamento era um grande cerco  de madeira circular. Ao redor, vários bonecos como espantalhos eram dispostos, um ao lado do outro. Os espantalhos estavam um pouco gastos e alguns nem tinham mais cabeças, mas no chão, perto do cerco, havia praticamente um estoque de espantalhos novinhos em folha esperando para serem destruídos.                      

    – Aqui é o nosso Centro de Treino corpo-a-corpo. – Começou Aurora – As caçadoras são especializadas em longo alcance, mas isso não quer dizer que não treinamos com outras armas. Treinamos aqui com os gládios, machados, lanças, sabres, adagas, chicote… Mesmo a lança e o chicote sendo de alcance médio, treinamos aqui… É só um nome mesmo. A passagem aqui vai ser bem rápida, o que interessa de verdade é aquela torre ali.                  

    As meninas se viraram para a torre que a Aurora apontou. Ela muito parecida com uma torre de castelo, mas bem menor, do tamanho que só caberia uma porta.                      

    – Aquela é uma das Sete entradas do nosso acampamento. Essa, em específico dá em Valparaíso, mas cada entrada dá em um lugar diferente. Quando os deuses estavam na Grécia, esses portões ficavam em lugares importantes e estratégicos e quando mudamos para os Estados Unidos, isso foi mantido, assim como no Brasil. Esse acampamento deve sempre estar na Capital, o centro político ou a cidade mais importante. A primeira entrada é a entrada do Comércio, que hoje fica em Taguatinga; a segunda é a da Floresta que hoje está no Jardim Botânico; a terceira é essa, a da Divisa, que fica no Valparaíso; a quarta é a do Aprendiz, que fica no subsolo do ICC sul na UnB; a quinta é a do Conhecimento, que fica na Biblioteca Nacional; a sexta é a entrada do Forte, que fica no Castelinho e por fim, a sétima é uma entrada secreta só se abre em noite de lua crescente. Ninguém sabe onde e para quem ela vai aparecer, mas caso alguém a encontre, vai parar bem no meio do nosso acampamento. Por isso que precisamos sempre estar atentas nas noites de lua crescente.

     As recrutas estavam atentas à todas as explicações dadas até agora, mas provavelmente alguma iria esquecer de alguma coisa. Depois do centro de treinamento, as meninas passaram por mais um arsenal, com o número 2, mas não pararam e por uma das torres de entrada que lhes foi explicado ser a entrada do Aprendiz, ou seja, do ICC sul.  Elas pararam em um grande cercado. Ele era retangular e seu tamanho parecia de uma pista de corrida olímpica de tão grande e as linhas verticais também lembravam muito. No final, as meninas conseguiam enxergar uma fileira horizontal de alvos e feno por trás deles junto com uma alavanca preta ao lado. Também tinham algumas árvores e postes bem altas com alvos pendurados e uma máquina embaixo de uma cobertura de concreto.

    Obi Wana guiou as meninas até a alavanca e a puxou, fazendo todos os alvos se movimentarem.

    Alguns surgiram atrás das recrutas as assustando, outros surgiram de moitas e por trás das árvores.

    – Aqui é o nosso centro de treinamento à distancia.- Disse Obienquanto desligava o equipamento- As caçadoras são conhecidas pela a precisão no tiro e com essas belezinhas aqui o tiro certeiro é garantido. Aquela máquina ali é uma lançadora de alvos, que usamos para treinar com alvos aéreos. Então, aqui na caçada, temos 2 tipos de treino para praticar a precisão e percepção: Tiro Rápido e Tiro Progressivo. O tiro rápido é o mais simples, a treinadora vai falar “Preparar” e vocês preparam o arco- Ela tira o arco de sua pulseira e o prepara com uma flecha- , aí ela fala “Apontar” e vocês levantam o arco e miram e por fim, “Fogo” – A caçadora atirou em uma folha que estava caindo bem perto da cabeça de uma das recrutas.- Entenderam?

    As recrutas concordam com medo.

    – E o Tiro Progressivo é assim: a treinadora fala “0” e as caçadoras, em fila, tem que falar o próximo número enquanto atiram. Sem perder o foco. Bom aqui na caçada também temos o Mata-mata, que vale emblema para a sobrevivente. -Ela riu enquanto guardava o arco.- As regras são bem simples: as meninas entram em fila indiana e a primeira da fila tenta acertar o alvo. Caso ela acerte, vai para o final da fila, mas caso erre, a próxima da fila tenta acertar o alvo e se ela acertar “mata” a primeira que errou. Se as duas errarem, ficam revezando até alguém “matar” alguém. Quem ganhou vai para o final da fila e continua o jogo até sobrar apenas uma. Quem sobrar ganha o jogo e o emblema, simples, né?

    As recrutas ficaram com medo de responder, mas balançaram a cabeça.

    -Durantes os treinos vocês aprenderão mais sobre os arcos, pois cada pessoa de adapta melhor a um tipo. Eu me adaptei ao Severo, esse arco que vocês acabaram de conhecer. Ele é um arco oficial da caçada e é recurvo com 18 libras. Como eu disse antes, vocês aprenderão mais sobre isso depois, mas agora… -Ela olha para Kennis- Temos tempo para um Mata-Mata rápido?

    A Kennis olha o relógio e nega com a cabeça.

    -Isso é tudo então, meninas. – Mas depois do fim do tour, eu posso passar aqui com as minhas afilhadas para a gente jogar um joguinho. – Ela sorri com o mesmo sorriso que as meninas a conheceram.

    Depois disso as caçadoras guiaram as meninas até o dormitório. E explicaram que não tinham mais tempo para mostrar o resto do acampamento, mas que lá também tinha um canil e um estábulo.

    Assim que chegaram aos dormitórios, Aurora falou:

    – Bom, chegamos ao final do tour. Espero que tenham gostado do nosso pequeno passeio e que também se dediquem muito, pois a vida aqui na caçada não é fácil. Não somos consideradas um grupo de elite a toa. Para ajudar vocês nessa fase de recruta, a caçada tem um sistema de “Amadrinhamento”. Nós disponibilizamos uma caçadora para cuidar de vocês e tirar as suas dúvidas. Nós três somos madrinhas de algumas de vocês, mas as outras caçadoras não puderam vir por estarem em missão ou muito ocupadas.- Ela pegou o papel que estava em seu bolso e mostrou para as recrutas. Elas viram uma lista com seu número, nome e o nome de sua madrinha.- Bom, vou citar quais meninas serão as nossas afilhadas e o resto poderá ver nesse papel que eu deixarei  aqui na parede: Recruta 40, 44 e 47, vocês serão as minhas afilhadas. O quarto de vocês fica ao lado do meu, no primeiro andar. Sim, o meu quarto é o do enfeite de sol maravilhoso e purpurinado. Recruta 29, 42 e 43, vocês serão afilhadas da Kennis, meus parabéns, ela é bem exigente. O quarto de vocês fica ao lado do da Kennis, que fica no segundo andar, na ala sul e na sua porta tem uma coruja voando com asas de livro.

    As recrutas olharam para lá e viram, de longe, a imagem da coruja.

    – Por fim, mas não menos importante, as recrutas 39 e 45 serão as afilhadas da Obi Wana, se divirtam. Para as outras recrutas, colocarei a lista aqui na parede. O treino de vocês começará amanhã as 9 horas em ponto, não se atrasem. Até lá, vocês podem aproveitar o resto do dia para acompanhar as suas madrinhas em suas atividades. Bom, sejam todas bem vindas à Caçada.- Aurora sorriu e prendeu o papel na parede.-

    – 29, 42 e 43, eu preciso resolver algumas coisas da Manejo de Dracmas, mas irei passar na biblioteca da mitologia primeiro. Por favor me acompanhem. -Kennis disse e as meninas se destacaram do grupo para acompanha-la.

    – 40, 44 e 47, vamos lá? Eu tenho muita coisa para fazer e a ajuda de vocês vai ser mais do que bem vinda. Posso até tirar suas dúvidas . – Ela riu abraçando as suas afilhadas e todas seguiram o seu caminho.

28- Rob –Ártemis
29- Caimana-  Kennis
31-Duda – Clara
33- Julia – Clara
34- Luana – Clara
36- Laura- Mari
38- Sandyjunior – Mari
39-Livia – Obi Wana
40- Boreal – Aurora
42-Amanda -Kennis
43- Hellen – Kennis
44- Diana – Aurora
45- Jackeline – Obi Wana
47- Pandora – Aurora
FIM
Ah! Um pequeno mapa para vocês!
(Obs: nada profissional)

Esperamos que vocês tenham gostado da nossa pequena história de duas partes e que tenham aprendido um pouco mais sobre o nosso acampamento ^^.
Essa foi a última história do semestre e voltaremos de férias no inicio de agosto, caso não estivermos em missão. Até lá… Beijos de Luz da Aurora ;P
Comentários
Compartilhe:

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: